Acesso ao principal conteúdo
Mundo

Moscovo há um ano na Síria

Reuters

Desde o início da intervenção de Moscovo na Síria, há um ano, cerca de 9300 pessoas perderam a vida em ataques da aviação russa.

Publicidade

Um ano depois da entrada na guerra da Síria, a Rússia é cada vez mais alvo de críticas, mas nem por isso se mostra menos determinada em prosseguir com operações de apoio ao regime de Bashar al-Assad desde que o curto cessar-fogo negociado com os Estados Unidos chegou ao fim, 19 de Setembro.

No último ano, 3800 civis perderam a vida e mais de 20 mil ficaram feridos pelos ataques da aviação russa.

A Organização das Nações Unidas (ONU) mostrou-se uma vez mais preocupada com a actual situação em Alepo que corresponde a “uma catástrofe humanitária não comparável a qualquer na Síria”.

Numa altura em que mais de cem mil crianças estão encurraladas na zona este da cidade controlada por rebeldes, que se tornou alvo de intensos bombardeamentos, depois do exército sírio ter anunciado, a 22 de Setembro, uma ofensiva para reconquistar a cidade síria.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.