Acesso ao principal conteúdo
Iraque

Queda futura de Mossul etapa para reconfiguração do Iraque

Forças do exército iraquiano em Bartila, rumo ao assalto de Mossul, Iraque.
Forças do exército iraquiano em Bartila, rumo ao assalto de Mossul, Iraque. REUTERS

O Chefe de estado francês, François Hollande, defendeu na conferência internacional de Paris, sobre Mossul, que a queda da cidade iraquiana, tem de ser vista como um desafio militar mas também para preparar o Iraque do futuro.

Publicidade

O Presidente francês, François Hollande, advertiu hoje (20) na conferência internacional de Paris, sobre Mossul,  que, após a tomada desta cidade iraquiana, pelas forças iraquianas e a coligação interenacional, a próxima etapa terá de ser Raqa, no norte da Síria, onde se refugiaram dirigentes do estado islâmico.

Hollande, falava no quadro da reunião internacional em Paris, sobre a cidade iraquiana de Mossul, com participação Rússia, Estados Unidos e a União europeia, no momento em que está em curso uma operação lançada pelas forças iraquianas e a coligação internacional para tomar Mossul, feudo dos jiadistas.

"A batalha de Mossul é decisiva porque atinge Daesh no coração do seu santuário. O desafio de Mossul é um desafio militar, um desafio humanitário e um desafio político.

"Não devemos olhar para Mossul só como um desafio militar. Devemos sim olhar para Mossul, como a preparação de um Iraque do futuro", sublinhou o presidente francês, François Hollande.

O chefe de estado francês, sublinhou ainda que tarefa da coligação anti-estado islâmico nao acabará com a queda de Mossul, pelo que há que avançar também para a cidade de Raqa, na Síria, donde partirão ordens visando atacar a Europa.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.