Acesso ao principal conteúdo
Isarel/Jerusalém

A próxima guerra em Gaza "será a última"

Avigdor Liberman, ministro israelita da Defesa
Avigdor Liberman, ministro israelita da Defesa Foto: Profimedia

O ministro israelita da Defesa alertou esta segunda-feira o Hamas que uma nova guerra na Faixa de Gaza "seria a última", isto porque Israel irá aniquilar o movimento islamita palestiniano. Avigdor Lieberman sublinhou ainda que se o Hamas terminar com as actividades hostis "Gaza poderá ser a nova Hong Kong".

Publicidade

"Nós não temos qualquer intenção de começar um novo confronto, mas se eles impuseram uma nova guerra a Israel, esta será a última", declarou Avigdor Lieberman ao diário palestiniano Al-Quds.

"Será a última confrontação porque nós vamos destruí-los totalmente", insistiu o ministro conhecido pelos seus comentários hostis a qualquer forma de autodeterminação palestiniana.

Guerra e bloqueio

Entre 2008 e 20014 Israel declarou três vezes guerra ao Hamas que governa Gaza, desde 2007, e a outros grupos combatentes neste pequeno enclave palestiniano. Os dois campos vivem actualmente um cessar-fogo tenso preparando-se a todo o momento para o próximo confronto.

Israel impõe desde há dez anos um bloqueio rigoroso ao Hamas, mas que afecta essencialmente a população civil e que é denunciado pelas Nações Unidas e por organizações dos direitos humanos. Dois terços dos habitantes de Gaza dependem de assistência internacional.

"Gaza nova Hong Kong"

O ministro israelita da Defesa sublinhou ainda que se o Hamas terminar com as actividades hostis "nós seremos os primeiros a investir no porto, no aeroporto e na zona industrial. Gaza poderá mesmo vir a ser a nova Singapura, ou nova Hong Kong", assegurou o ministro da defesa israelita.

Avigdor Lieberman diz-se favorável a uma solução de dois Estados, um palestiniano e um israelita, ao contrário de alguns ministros do governo de Benjamin Netanyahu. Lieberman critica contudo o Presidente palestinianos Mahmoud Abbas e acusa-o de ser " incapaz de tomar decisões difíceis, distante da população e de uma direcção corrupta".

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.