Acesso ao principal conteúdo
Suécia

Papa na Suécia para unir católicos e luteranos

Papa Francisco e o Secretário-Geral da Federação Luterana Mundial Martin Junge durante a comemoração ecuménica comum em Lund, na Suécia. 31 de Outubro de 2016.
Papa Francisco e o Secretário-Geral da Federação Luterana Mundial Martin Junge durante a comemoração ecuménica comum em Lund, na Suécia. 31 de Outubro de 2016. HO/Observatório Romano/AFP

Para assinalar o 500.º aniversário da Reforma de Martinho Lutero, o papa Francisco deslocou-se à Suécia num gesto em prol do diálogo luterano-católico. Esta é a primeira comemoração ecuménica comum consagrada ao monge católico alemão que provocou o cisma da Igreja no século XVI.

Publicidade

O sumo pontífice chegou hoje a Lund, na Suécia, a cidade onde foi fundada a Federação Luterana Mundial. O Papa Francisco pretende incentivar o diálogo com os protestantes que continua difícil, cinco séculos depois do Cisma da Igreja.

A Reforma protestante marcou o início de uma cisão no seio dos cristãos. O Papa Francisco visa avanços no ecumenismo, movimento em prol da união dos cristãos.

A 31 de Outubro de 1517, o teólogo alemão Martinho Lutero afixou, na porta de uma capela de Wittenberg, no sul de Berlim, as suas "95 teses" em que criticava o comércio de indulgências para perdão de pecados, criado pelo papa e que servia para financiar a construção da Catedral de São Pedro do Vaticano. Ao questionar a autoridade do Papa Leão X, o monge foi excomungado em 1521, mas a sua mensagem expandiu-se muito rapidamente por toda a Europa graças à imprensa.

Ao microfone de Miguel Martins, Oziel Morais, vice-reitor do Seminário nazareno (protestante) em Cabo Verde, mostrou-se céptico em relação a avanços neste dossier, embora admitindo que tem havido alguma aproximação entre as igrejas.

Para Oziel Morais, são ainda muitos os motivos de discórdia entre católicos e protestantes.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.