Acesso ao principal conteúdo
Malásia/Coreia do Norte

Malásia devolve restos mortais à Coreia do Norte

Kim Jong-Nam, meio-irmão do líder norte-coreano Kim Jong-Un
Kim Jong-Nam, meio-irmão do líder norte-coreano Kim Jong-Un ©TOSHIFUMI KITAMURA / AFP

Os restos mortais de Kim Jong-nam serão libertados e entregues à Coreia do Norte. A Malasia autorizou a entrega do corpo do meio-irmão de Kim Jong-Un que foi assassinado no aeroporto de Kuala Lumpur, contudo garantiu que as investigações ao homicídio vão continuar.

Publicidade

A decisão coloca um ponto final no conflito diplomático entre a Coreia do Norte e a Malásia, com a Pyongyang a opor-se à realização da autopsia, enquanto Kuala Lumpur se recusava a entregar os restos mortais sem obter as amostras de ADN para confirmação da identidade.

Muito crítico do regime norte-coreano, Kim Jong-Nam, que vivia no exílio em Macau, foi assassinado no passado dia 13 de Fevereiro no aeroporto de Kuala Lumpur, depois de ter sido atacado com uma dose do químico VX, um poderoso agente nervoso.

Coreia do Sul reage

Seul veio desde logo acusar Pyongyang de ter orquestrado o assassínio do meio irmão de Kim Jong Un, acusações que foram prontamente desmentidas pelas autoridades norte-coreanas que reclamaram o corpo, sem nunca terem confirmado a identidade da vítima.

Um mês e meio depois o primeiro-ministro malaio, Najib Razak, anunciou, esta quinta-feira, que o corpo do meio-irmão de Kim Jong - Un vai ser devolvido à Coreia do Norte. De acordo com o chefe do executivo a decisão resulta da conclusão da autópsia e da recepção de uma carta onde os familiares reclamavam o repatriamento dos restos mortais.

Em troca, nove malaios que tinham sido detidos pelas autoridades norte-coreanas em Pyongyang, desde a querela diplomática à volta da morte de Kim Jong-Nam, poderão regressar a casa. Todavia a investigação ao homicídio vai continuar, garantiu Najib Razak.
 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.