Acesso ao principal conteúdo
Egipto / Atentados

Egipto: Presidente declara estado de emergência

General Abdel Fattah al-Sissi, Presidente do Egipto
General Abdel Fattah al-Sissi, Presidente do Egipto DR

O Presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sissi, anunciou na noite passada um "estado de emergência por três meses", após os atentados cometidos contra duas igrejas coptas, que causaram pelo menos 44 mortos

Publicidade

O anúncio foi feito durante uma conferência de imprensa, no Palácio presidencial do Cairo, poucas horas depois do duplo atentado contra igerejas coptas, reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

Os dois atentados, cometidos no Domingo de Ramos, a poucas horas de intervalo, e em locais diferentes, causaram pelo menos 44 mortos, e uma centena de feridos, segundo o mais recente balanço.

."Há uma série de procedimentos a seguir: Em primeiro lugar, um estado de emergência de três meses", declarou o Presidente egípcio, acrescentando que a medida será tomada "para proteger e preservar" o País.
 

Segundo a Constituição egípcia, o chefe de Estado ainda deve submeter essa medida ao Parlamento, que tem uma semana para se pronunciar.

O general Al-Sissi dirige o Egipto com mão de ferro desde a queda do Presidente islamita Mohamed Mursi, em 2013, o primeiro Presidente eleito democráticamente no Egipto.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.