Acesso ao principal conteúdo
Ciência

Proteína pode atrasar a progressão de Parkinson

Áudio 08:05
Cientista português Tiago Outeiro
Cientista português Tiago Outeiro

Um grupo de investigadores portugueses e alemães descobriram ser possível controlar uma proteína presente no cérebro dos doentes com Parkinson. Proteína que pode atrasar a progressão da doença e tratar alguns sintomas.A doença pode não estar isolada no cérebro, pode começar no sistema digestivo como nos explica Tiago Outeiro que coordena o estudo entre um grupo do instituto de investigação associado à Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa (CEDOC) e outro grupo na universidade alemã de Göttingen.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.