Acesso ao principal conteúdo
Direito/Turquia

Mobilização a favor de jornalista francês preso na Turquia

O  repórter fotográfico francês, Mathias Depardon, actualmente detido na Turquia.
O repórter fotográfico francês, Mathias Depardon, actualmente detido na Turquia. RSF

A mãe do repórter fotográfico francês, Mathias Depardon, detido na Turquia há um mês, declarou ter confiança na futura libertação do seu filho. Danièle Van de Lanote chegou nesta quinta-feira à Gaziantep, cidade turca próximo da fronteira com a Síria, onde se encontra detido Mathias Depardon.Ela visitou o seu filho, preso segundo as autoridades turcas, por ter efectuado actividades sem ter uma carteira profissional válida.

Publicidade

 A mobilização a favor da libertação do repórter fotográfico francês, Mathias Depardon, prossegue em França. Graças ao apoio das autoridades consulares francesas na Turquia , bem como da organização Repórteres Sem Fronteiras, a sua mãe Danièle Van de Lanotte, conseguiu visitar nesta quinta-feira o seu filho.

A senhora Van de Lanotte declarou após a visita à Mathias Depardon, no centro de acolhimento para migrantes de Gaziantep onde ele se encontra detido, que o seu filho  estava com bom aspecto.

A mãe do jornalista independente foi acompanhada por Christophe Hemmings, cônsul-adjunto de França em Ancara, bem como pelo secretário-geral da ONG  Repórteres Sem Fronteiras, Christophe Deloire.

Mathias Depardon reside desde há cinco anos na Turquia , onde desempenhava a actividade de repórter fotográfico independente.

Ele foi detido no dia 8 de Maio em Hasankeyf, no sudoeste do país, durante uma reportagem para a revista National Geographic.

As autoridades turcas, acusam-no de trabalhar no país sem uma carteira profissional válida. Depardon que tinha formulado recentemente o pedido de renovação do citado documento, é também acusado de ter efectuado propaganda terrorista ao publicar nas redes sociais, fotografias tiradas no decurso de uma reportagem sobre o PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), organização banida na Turquia.           

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.