Acesso ao principal conteúdo
Brasil

Presidente do Brasil foi indiciado por corrupção

Michel Temer, Presidente do Brasil.
Michel Temer, Presidente do Brasil. REUTERS/Ueslei Marcelino

O Procurador-Geral da República do Brasil, Robert Janot, apresentou, ontem à noite, ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer por corrupção passiva.

Publicidade

Para que o Presidente seja considerado culpado e presente diante do Supremo Tribunal a denúncia do Procurador-Geral, Robert Janot, deve ser aceite por um terço dos deputados da câmara baixa parlamentar. Ou seja, 342 dos 513 parlamentares e a maioria dos onze juízes do Supremo Tribunal Federal devem votar favoravelmente à denúncia. Neste cenário, Michel Temer será afastado do poder por um período de 180 dias.

O Procurador-Geral acusa Michel Temer de se ter servido da condição de chefe de Estado " para receber 500 mil reais, cerca de 150 mil dólares, em luvas da parte da empresa de carnes JBS". A empresa JBS que está implicada num gigantesco escândalo de corrupção no qual está mergulhado o Brasil, isto de acordo com o acto de acusação tornado público pelo Supremo Tribunal Federal.

A crise política atingiu o seu auge no passado mês de Maio, com a revelação de uma gravação na qual se ouve o chefe de Estado a dar permissão para um dos proprietários da empresa JBS comprar o silêncio do ex-deputado, Rodrigo Rocha Loures, actualmente na prisão.

O advogado de defesa de Michel Temer já veio reagir a esta denúncia. Garante que o Presidente brasileiro não cometeu o crime de corrupção do qual é acusado.

É a primeira vez na história que um presidente do país é denunciado por um crime comum.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.