Acesso ao principal conteúdo
Estados Unidos

Trump em Las Vegas após massacre de domingo

Donald Trump no seu discurso de pesar após massacre de Las Vegas no domingo.
Donald Trump no seu discurso de pesar após massacre de Las Vegas no domingo. REUTERS/Kevin Lamarque

O presidente americano, Donald Trump, já se encontra, em Las Vegas, para se avistar com familiares de vítimas da carnificina, deste domingo, que fez 58 mortos e 500 feridos, na conhecida cidade de casinos. Coincide com esta visita de Trump a Las Vegas, a chegada ao país, ido das Filipinas, a companheira, do assassino e que está a ser ouvida como testemunha pela FBI.

Publicidade

O Presidente dos Estados Unidos, Unidos, Donald Trump, encontra-se com familiares de vítimas mas também com a polícia e autoridades de Las Vegas, depois do massacre levado a cabo no domingo, nesta famosa cidade dos casinos, pelo atirador, Stephen Paddock.

Stephen Paddock, escondido, num hotel e armado até aos dentes, disparou rajadas de arma automática matando 58 pessoas e ferindo outras 500, que participavam num concerto de música country.

"É um dia triste para mim", disse Trump, antes de chegar a Las Vegas, acompanhado da sua esposa, Melania e de pessoal do seu staff da Casa branca.

A viagem de Trump, coincide com a chegada aos Estados Unidos, ido das Filipinas, de Marilou Danley, companheira do assassino e que é considerada pela

FBI, como uma "testemunha de interesse", no quadro do inquérito em curso.

Sobretudo, porque ela recebeu, ainda nas Filipinas, uma transferência de 100 mil dólares, de Stephen Paddock.

Stephen Paddock, que era um assíduo jogador de casinos tinha ganho dias antes do massacre, 160 mil dólares.

Outro dado importante, a sua companheira, Marilou trabalhava em casinos de Las Vegas e foi ela que lhe reservou o hotel.

Um hotel onde o assassino, Paddock, tinha um arsenal de armas incluindo armas pesadas, mas também literatura do movimento negro extremista, Antifa e dos jiahistas do Daesh.

Aliás, o grupo terrorista estado islâmico, reivindicou o  massacre de domingo, dizendo que o assassino, Paddock, era um dos seus membros.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.