Acesso ao principal conteúdo
Áustria

Austríacos votam nas legislativas com campanha anti-imigração

Parlamento da Áustria renovado este domingo, 15, em eleições legislativas.
Parlamento da Áustria renovado este domingo, 15, em eleições legislativas. AFP PHOTO/JOE KLAMAR

Mais de 6 milhões de austríacos estão a votar este domingo no quadro de eleições legislativas cuja campanha foi dominada pela direita conservadora do actual chefe da diplomacia, Sebastian Kurz, 31 anos, e por uma extrema-direita pujante, que poderia entrar no Parlamento e num governo de coligação. 

Publicidade

Eleições legislativas na Áustria, onde mais de 6 milhões de austríacos, elegem este domingo, (15) um novo Parlamento, no fim de uma campanha, dominada pela figura de Sebastian Kurz, jovem de 31 anos e o seu Partido popular austríaco, liderando nas intenções de voto.

Nota marcante igualmente da campanha, uma extrema-direita pujante do Partido da Liberdade, que com o seu discurso anti-imigração, poderá ter um bom resultado e entrar no Parlamento e no próprio governo.

Á vontade na campanha, a extrema-direita, viu imitado o seu discurso anti-imigrante, pelo próprio ministro dos negócios estrangeiros do partido conservador, Sebastian Kurz, que poderá ganhar estas eleições legislativas.

Por outro lado, a extrema-direita, exigiu, desde já os postos de ministro do Interior e dos Negócios estrangeiros e manter o afastamento de um governo de coligação dos sociais-democratas do actual chanceler, Christian Stern, exigência que esteve, aliás, na origem destas eleições antecipadas.

Quer o líder dos sociais democratas, Martin Schultz, quer o chanceler, Kern, já declararam que em caso de derrota ficarão na oposição. Schultz, poderá, mesmo ser contestado na liderança do partido, já que há uma forte linha social-democrata que defende governar com o conservador Kurz ou mesmo com a extrema-direita.

Recorda-se que o ano passado, o candidato dos sociais-democratas, foi eliminado, logo, na primeira volta, das eleições presidenciais, que opuseram os candidatos da extrema-direita, Alexander Van der Bellen, e da ecologia com apoio social-democrata, Norbert Hofer.

É, pois, neste clima, que os austríacos votam, convencidos pelo discurso anti-imigração dos partidos da extrema-direita e da direita conservadora.

A Áustria é um dos países da Europa que recebeu em dois anos mais imigrantes cerca de 1,5% da sua população de 8,7 milhões de pessoas.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.