Acesso ao principal conteúdo
Europa / Israel

Europa contraria Netanyahu

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelita, com Federica Mogherini, Alta Representante da UE para Política Externa
Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelita, com Federica Mogherini, Alta Representante da UE para Política Externa REUTERS/Francois Lenoir TPX IMAGES OF THE DAY

Em deslocação a Bruxelas, Benjamin Netanyahu reafirmou que Jerusalém é a única capital de Israel. Por outro lado, Federica Mogherini, em nome da diplomacia europeia, sublinhou que a "única solução realista para o conflito" é "Jerusalém como a capital de ambos".

Publicidade

Em deslocação oficial a Bruxelas, Bélgica, Benjamin Netanyahu reafirma que Jerusalém é a única capital de Israel. O primeiro-ministro israelita acredita que outros países vão seguir o exemplo dos Estados Unidos da América e deslocalizar as respectivas embaixadas para a Cidade Santa.

Em conferência de imprensa conjunta, em Bruxelas, com Federica Mogherini, representante da política externa da União Europeia, Benjamin Netanyahu elogiou o "realismo" de Donald Trump, presidente norte-americano, e considerou que na origem do conflito israelo-palestiniano está o facto de os palestinianos não reconhecerem o direito à existência do estado de Israel.

Por outro lado, Federica Mogherini, em nome da diplomacia europeia, reafirmou a posição do bloco: "Consideramos que a única solução realista para o conflito entre Israel e a Palestina é baseada em dois estados, com Jerusalém como a capital de ambos (…) esta é a nossa posição e vamos continuar a respeitar as preocupações internacionais quanto a Jerusalém até o estatuto final da Cidade Santa ser definido em negociações directas. E esperamos que as partes cheguem a um acordo com o apoio da Comunidade Internacional".

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.