Acesso ao principal conteúdo
Mundo

Áustria : Diplomacia e segurança interna caem nas mãos da extrema-direita

O líder do FPÖ, Heinz-Christian Strache (à esquerda) e Sebastian Kurz (à direita) durante a conferência de imprensa anunciando a formação do novo Governo.
O líder do FPÖ, Heinz-Christian Strache (à esquerda) e Sebastian Kurz (à direita) durante a conferência de imprensa anunciando a formação do novo Governo. REUTERS/Leonhard Foeger

Decorreu hoje a toma de posse do novo Governo austríaco cuja composição permitiu à extrema-direita austríaca controlar pastas muito sensíveis, como a diplomacia ou a segurança interna, a sua agenda anti – imigração e eurocéptica podendo vir a ser posta em prática.

Publicidade

Anunciado na Sexta-feira à noite e formalizado este Sábado, foi concluído o acordo entre o Partido Popular (conservador de direita) liderado por Sebastian Kurz, e a formação de extrema-direita o Partido da Liberdade (FPÖ) de Heinz-Christian Strache.

O novo executivo é chefiado por Kurz, que, aos 31 anos torna-se o mais jovem chefe de Governo no mundo e Strache foi designado vice-chanceler.

O novo Primeiro-ministro austríaco defende uma posição muito crítica relativamente à política de “portas abertas” aos refugiados sírios, defendida pela chanceler alemã Angela Merkel. Quando ainda era ministro dos Negócios estrangeiros, Kurz apelou ao fim da “imigração ilegal” e expressou receios de que se estivesse a criar no país uma “sociedade paralela” com a comunidade muçulmana.

Trata-se da segunda vez que o FPÖ participa num governo. Em 2000, o movimento então liderado por Jörg Haider fez uma coligação com os conservadores, o que na altura, levou  a União Europeia a suspender provisoriamente o direito de voto da Áustria no Conselho Europeu. Contudo, esta é a primeira vez na sua história que a extrema-direita austríaca consegue alcançar pastas decisivas num executivo, incluindo a Defesa, os Negócios Estrangeiros e a Administração Interna.

Mais de 2000 pessoas manifestaram nesta Segunda-feira em Viena contra a participação do partido de extrema-direita no novo Governo. A polícia desviou o cortejo para a Praça dos heróis, o local histórico no qual Hitler pronunciou em 1938 um discurso para anunciar a anexão da Áustria à Alemanha.

Perante esta situação, durante o discurso de apresentação do seu governo, Heinz -Christian Strache quis tranquilizar os parceiros europeus quanto ao futuro das relações com a União Europeia, tendo em conta que a partir de Junho de 2018, a Áustria vai assumir a presidência rotativa da EU. O novo Governo promete uma política migratória restrictiva : a luta contra a imigração ilegal é a prioridade número um do executivo austríaco.

Oiça Marisa Matias, Eurodeputada 

Marisa Matias Eurodeputada

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.