Acesso ao principal conteúdo
Alemanha

Conservadores dão luz verde a Merkel

Angela Merkel na abertura do congresso da CDU, em Berlim, esta segunda-feira dia 26 de Março de 2018.
Angela Merkel na abertura do congresso da CDU, em Berlim, esta segunda-feira dia 26 de Março de 2018. REUTERS/Fabrizio Bensch

Na Alemanha os conservadores aprovaram por esmagadora maioria o projecto de governo de coligação com os sociais-democratas, um voto que tranquiliza Angela Merkel.

Publicidade

Foi com um discurso de promessas de mudanças que Angela Merkel apresentou o projecto de governo de coligação aos cerca de mil delegados do partido da União Cristã Democrata, CDU.

Palavras que convenceram os delegados  que votaram o acordo de coligação com uma larga maioria de 97%. Este resultado foi, porém, recebido com alguma surpresa, as críticas e o enfranquecimento de Angela Merkel faziam antever outras contas.

Para agradar dentro de casa, a chanceler alemã viu-se obrigada a ceder o ministério da saúde ao principal rival. Aos 37 anos, Jens Spahn, é visto como o possível sucessor de Angela Merkel. 

Concessões que se estenderam igualmente aos sociais-democratas. Merkel teve de aceitar ceder o simbólico ministério das Finanças, pasta que é visto pelos conservadores como o garante do rigor orçamental na Alemanha e na Europa.

Depois da luz verde dada pelos conservadores, o verdadeiro teste continua a ser referendo interno proposto aos 464.000 militantes do partido social democrático, cujos resultados serão conhecidos este domingo.

O referendo tem lugar numa altura em que é evidente a divisão no seio do SPD, um chumbo na aliança poderá representar uma crise sem precedentes na Alemanha dos tempos modernos.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.