Acesso ao principal conteúdo
Mundo

Exército turco assumiu controlo da cidade síria de Afrin

Exército turco assumiu controlo da cidade síria de Afrin, 18 de março de 2018
Exército turco assumiu controlo da cidade síria de Afrin, 18 de março de 2018 Reuters/路透社

O Presidente da Turquia garantiu que a cidade de Afrin está "inteiramente sob controlo" e que foram foram erguidas bandeiras turcas, na região que estava dominada pelas forças curdas.

Publicidade

A cidade no noroeste da Síria, Afrin, que estava cercada desde a passada sexta-feira pelas tropas turcas, caiu ontem, domingo. Soldados turcos içaram a bandeira nacional no centro da cidade, enquanto um buldózer destruía uma estátua colocada pelas milícias curdas do YPG, que controlavam o condado de Afrin antes das tropas turcas terem iniciado a operação militar há dois meses.

Segundo alguns relatos, os rebeldes do Exército Livre da Síria, aliado a Ancara, e que combate ao lado dos turcos contra os curdos, têm saqueado a cidade.

Esperava-se uma batalha sangrenta, mas a cidade caiu rapidamente, porque as milícias curdas sírias retiraram. Segundo Salih Muslim, um líder do Partido da União Democrática, o braço político das milícias curdas sírias que Ancara considera um grupo terrorista, uma extensão do grupo separatista curdo PKK, disse que a guerra ainda não terminou: “as milícias retiraram para evitar um massacre da população civil. A guerra continuará, agora de forma diferente”.

Para já, a Turquia respira uma atmosfera eufórica hoje toda a imprensa turca dava conta de uma grande vitória: Um “dia de glória”, lia-se num diário. “Escrevemos história em Afrin”, dizia outro. “Afrin limpa”, escrevia um terceiro. A conquista de Afrin ocorreu no dia em que a Turquia celebra a vitória de Çanakkale sobre os aliados, na primeira guerra mundial, o dia dedicado aos mártires que tombaram nas guerras.

Mas permanecem muitas questões; para onde foram todas as milícias curdas sírias que se retiraram da cidade sem dar luta, com o seu armamento? Segundo alguns relatos, há cerca de 120,000 curdos que escaparam Afrin retidos a sul da província, numa zona controlada pelo regime sírio, que não os deixa passar para outras áreas controladas pelos curdos sírios mais a leste.

E quais serão os próximos passos de Ancara? O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan tem dito varias vezes que o próximo passo seria Manbij – nas margens do Eufrates – uma zona controlada pelas mesmas milícias curdas, mas ali apoiadas pelas tropas americanas, com quem lutam na guerra contra o Daesh. Irá Ancara forçar um confronto com o seu aliado da NATO? Mais informação com o nosso correspondente na Turquia, José Pedro Tavares.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.