Acesso ao principal conteúdo
Convidado

Pequim contra-ataca e introduz taxas sobre produtos americanos

Áudio 07:21
Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos, e Xi Jinping, chefe de Estado da China.
Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos, e Xi Jinping, chefe de Estado da China. afp.com/Nicolas ASFOURI

Continua a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos. No início de Março, o Presidente americano, Donald Trump, decidiu anunciar medidas unilaterais visando reduzir o défice comercial de Pequim relativamente a Washington. Invocando um princípio de "segurança nacional", Trump introduziu taxas na importação de aço e alumínio. Qualificado por Pequim de "abuso comercial", aguardava-se a resposta chinesa, temendo-se o início de uma guerra comercial entre as duas superpotências mundiais. Hoje, Pequim anunciou que irá introduzir medidas punitivas contra 128 produtos americanos. Ainda que, por enquanto, as taxas recaiam sobre produtos ligados à indústria da alimentação, a China promete penalizar empresas americanas de renome, como a Boeing, caso Washington não recue.Arnaldo Gonçalves, professor no Instituto Politécnico de Macau, considera que a resposta de Pequim era prevísivel. 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.