Acesso ao principal conteúdo
Austria/União Europeia

UE: Migrantes, o que fazer?

Os ministros do Interior dos 28 Estados membros chegaram a um consenso para reduzir a chegada de migrantes irregulares
Os ministros do Interior dos 28 Estados membros chegaram a um consenso para reduzir a chegada de migrantes irregulares REUTERS/Pascal Rossignol

Os ministros do Interior dos 28 Estados membros chegaram a um consenso para reduzir a chegada de migrantes irregulares, todavia a questão do método a aplicar continua a dividir.

Publicidade

O encontro informal não permitiu grandes avanços no projecto que prevê construir “plataformas de desembarque” em África para ajudar os migrantes socorridos no mediterrâneo.

Os ministros do Interior dos 28 Estados membros chegaram a um consenso para reduzir a chegada de migrantes irregulares, todavia a questão do método a aplicar continua a dividir. Em causa estariam os ditos “métodos radicais” defendidos pela Áustria que tem actualmente a presidência rotativa da União Europeia.

Ainda por clarificar está o funcionamento dos “centros de controlo” na União Europeia. Estes centros serviriam para impedir os movimentos irregulares de migrantes no seio da União Europeia, isto numa altura em que os “movimentos secundários” estão a criar divisões entre os Estados membros.

Já a questão do reforço de protecção das fronteiras obteve o apoio de todos os países. O comissário europeu para as migrações, Dimitris Avramapoulos, confirmou que Bruxelas vai na “rentrée” colocar o tema em cima da mesa. A ideia é até 2020 fazer da agência Frontex "uma verdadeira polícia europeia" com cerca de 10 mil efectivos.

O projecto de “plataformas de desembarque” em África já mereceu as críticas de várias ONG's que acusam os governos europeus de estarem determinados a impedir a todo o custo a entrada de migrantes no velho continente.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.