Acesso ao principal conteúdo
Brasil

Brasil: Bolsonaro 46,7% - Haddad 28,3%

Jair Bolsonaro (esq) / Fernando Haddad (dir)
Jair Bolsonaro (esq) / Fernando Haddad (dir) REUTERS/Paulo Whitaker/Nacho Doce

Jair Bolsonaro venceu a primeira volta das eleições presidenciais de domingo com 46,7% de votos face ao seu principal rival Fernando Haddad que obteve 28,3%. A segunda volta terà lugar a 28 de Outubro.

Publicidade

Pouco mais de 147 milhões de cidadãos são convidados a escolher a 28 de Outubro entre o candidato de direita, um ex-capitão do exército, homófobo e misógeno Jair Bolsonaro que obteve 46,7% de votos este domingo (7/10) e Fernando Haddad, antigo edil de São Paulo, que substituiu Lula da Silva (detido por corrupção passiva e lavagem de capitais) como candidato do Partido dos Trabalhadores de esquerda, que obteve 28,3% de votos.

Os brasileiros escolheram os candidatos dos extremos direita e esquerda, ao cabo de uma campanha totalmente polarizada e que o continuará a ser até à segunda volta dia 28 de Outubro.

Jair Bolsonaro do Partido social Liberal - PSL - que fez campanha a partir da cama do hospital onde foi hospitalizado depois de esfaqueado, declarava ontem via Facebook "não queremos [nada] à volta desse tipo de gente...o Brasil teve uma experiência de 13 anos, o que há de pior na política como herança...tivemos aqui um país que viu os seus valores familiares desgastados, mergulharam o país na mais profunda crise ética, moral e económica...nunca visto...não podemos dar mais um passo à esquerda, o nosso passo agora é para o centro direita".

Por sua vez Fernando Haddad do Partido dos Trabalhadores - PT - declarava "me sinto também desafiado pelos

resultados, no sentido de nos fazer atentar para os riscos que a democracia no Brasil corre...a oportunidade de um segundo turno é uma oportunidade inestimável que o povo nos deu...nós queremos unir os democratas do Brasil, unir as pessoas que têm atenção aos mais pobres desse país tão desigual, nós queremos um projecto amplo para o Brasil, profundamente democrático, mas também que busque de forma incansável justiça social".

Quanto às eleições legislativas e senatoriais o PSL passou de 8 a 52 deputados, num total de 513 e elegeu 4 dos 81 senadores, enquanto o PT que detinha 61 deputados apenas elegeu 56 e 6 senadores em vez dos actuais 13, mas é a principal força na câmara baixa do parlamento. 

O vencedor a 28 de Outubro e 38° Presidente do Brasil tomará posse dia 1 de Janeiro de 2019 em substituição do Presidente Michel Temer, o mais impopular desde o fim da ditadura militar no Brasil em 1985.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.