Acesso ao principal conteúdo
Convidado

Partiu Gerald Bloncourt, o fotógrafo da imigração portuguesa

Áudio 14:21
O fotógrafo Gerald Bloncourt.
O fotógrafo Gerald Bloncourt. AFP

Partiu no começo desta semana, Gerald Bloncourt, fotografo, poeta e pintor franco haitiano, sobretudo conhecido pelas suas fotografias a preto e branco da imigração portuguesa aqui em França nos anos 60-70. Gerald Bloncourt faleceu aos 91 anos, depois de uma vida dedicada a dignificar quem fotografou, sensível aos desenraizados dois quais fazia parte.

Publicidade

Nascido em 1926 no Haiti, de mãe francesa e pai da Guadalupe, ele e os 2 irmãos revelam cedo a sua apetência pelo militantismo; um dos irmãos aliás morre fuzilado em França em 1942 por ser comunista. Gerald Bloncourt participa em 1944 na criação do centro de arte do Haiti e, dois anos depois, participa num episódio conhecido como "as cinco gloriosas". Juntamente com outros jovens, em cinco dias de luta contra a opressão do governo da época, acelera a sua queda mas, por outro lado, só escapa a uma condenação à morte, ao preço do exílio em França.

"La petite fille du bidonville" conhecida como "a menina da boneca".
"La petite fille du bidonville" conhecida como "a menina da boneca". Gerald Bloncourt

E' em paris no final dos anos 40 que se torna fotógrafo no jornal comunista l'Humanité, para o qual realiza reportagens dos militantes pro-independência da Argélia aqui em França, as condições de trabalho dos operários no norte do país ou ainda fotos dos combatentes da Frente Polisario no Saara Ocidental. Contudo, o seu nome fica sobretudo associado aos seus trabalhos em torno da imigração portuguesa e aos primeiros dias após o 25 de Abril em Portugal. Imagem icónica desse período que o leva a fundir-se numa comunidade que vive nos bairros da lata perto de Paris com medo da delação e da polícia, Bloncourt imortaliza Maria da Conceição Tina, menina de sorriso e boneca na mão, numa dessas povoações improvisadas e lamacentas.

O historiador português Daniel Bastos que o conheceu há uma dezena de anos e trabalhou com ele sobre um livro recordando essa época dos anos 60-70, contou-nos como o recorda.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.