Acesso ao principal conteúdo
IRLANDA/REINO UNIDO

Irlanda suspensa à votação do parlamento britânico

Theresa May, a 25 de Novembro de 2018 em Bruxelas.
Theresa May, a 25 de Novembro de 2018 em Bruxelas. REUTERS/Dylan Martinez

A primeira-ministra britânica começou na Irlanda do Norte e no País de Gales uma deslocação pelo país para tentar conseguir que o parlamento de Londres aprove dia 11 de Dezembro o Brexit na sua versão adoptada no domingo, 25, pela União Europeia, em Bruxelas. A votação em Westmnister está longe de ser adquirida.

Publicidade

O documento de cerca de 600 páginas validado por Bruxelas estipula as condições de separação do Reino Unido em relação à União Europeia.

O acordo contempla também uma declaração política de 26 páginas sobre as relações comerciais que entrarão em vigor na sequência de um período de transição de dois a quatro anos.

A chefe do executivo britânica foi taxativa: além do acordo em causa não há nenhum plano alternativo para oficializar o "divórcio" de Londres com Bruxelas.

Um dos calcanhares de Aquiles de Theresa May prende-se, precisamente, com os deputados do Partido unionista norte-irlandês (DUP): estes qualificaram já o acordo como sendo inaceitável, tal como se encontra redigido actualmente.

Sem o apoio do DUP Theresa May perderia a maioria de que dispõe na Câmara dos comuns.

A primeira-ministra britânica poderia ter que enfrentar fortes reticências de vários partidos, incluindo da sua força política:o Partido conservador.

Estes dispõem de 314 assentos num total de 650, os trabalhistas de Jeremy Corbin devem, também eles, votar contra.

O estatuto especial contemplado para a Irlanda do Norte, fronteiriça da República da Irlanda, prevê um cenário excluindo a reedificação, precisamente, de uma fronteira fixa entre as duas entidades.

Facto que agrada à Irlanda, em nome da livre circulação e do apaziguamento na ilha, e a muitos sectores norte-irlandeses que, na sua maioria votaram contra o Brexit.

Porém os deputados do DUP descartam este cenário, uma verdadeira pedra no sapato para a primeira-ministra britânica.

Como é que na República da Irlanda se olha para a futura votação do parlamento britânico sobre o Brexit ?

Esta foi a pergunta que colocámos a Filipe Ribeiro de Menezes, professor da universidade de Mayonooth, perto de Dublin.

Ele admite que os receios são muitos na Irlanda, embora oficialmente se queira veicular um discurso optimista, sobretudo tendo em conta as dificuldades aritméticas da primeira-ministra no parlamento de Londres para conseguir validar este projecto de Brexit.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.