Acesso ao principal conteúdo
Ucrânia / Rússia

Presidente da Ucrânia decreta Lei Marcial

Navios de guerra ucranianos no porto de Odessa, no Mar Negro. Ucrânia, 26 de Novembro de 2018.
Navios de guerra ucranianos no porto de Odessa, no Mar Negro. Ucrânia, 26 de Novembro de 2018. REUTERS/Yevgeny Volokin

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, decretou hoje a lei marcial no seu País. As condições da sua aplicação ainda não são conhecidas na sua totalidade, mas sabe-se que ela estará vigente durante um mês em dez regiões fronteiriças e costeiras.

Publicidade

A Lei Marcial na Ucrânia é a resposta à captura - pela Guarda Costeira russa - de três navios da Marinha ucraniana no passado Domingo, quando esses navios   tentavam chegar ao Mar de Azov, através do estreito de Kerch, controlado pela Rússia.

As autoridades ucranianas asseguraram que a lei marcial ( que permite mobilizar os cidadãos, controlar os meios de comunicação, e limitar os encontros públicos), é essencialmente "preventiva".
 

Recorde-se que o incidente ocorrido no passado Domingo, foi o primeiro atrito de carácter militar entre Moscovo e Kiev desde a anexação da Crimeia pela Rússia, em 2014, e constitui uma subida de tom no conflito a Leste da Ucrânia, que opõe forças ucranianas e separatistas pró-russos, e que já causou cerca de 10.000 mortos.

Depois de promulgada a Lei Marcial na Ucrânia, o Presidente  Donald Trump ameaçou cancelar o encontro previsto para o final de semana com Vladimir Putin, durante a cimeira do G20, na Argentina.

Por seu turno, o chefe da diplomacia russa, Sergueï Lavrov, acusou hoje os Estados Unidos e certas capitais europeias de tolerarem "os caprinchos" de Kiev, e sublinhou que o incidente do passado Domingo foi uma provocação.

Para Nuno Barrento de Lemos Pires, Coronel da Academia Militar Portuguesa, apesar das Nações Unidas não terem peso militar, e do Conselho de Segurança da ONU estar dependente dos membros - inclusive a Rússia - que tem direito de veto, ter o apoio da comunidade internacional pode ajudar os ucranianos a fazer recuar os russos, ou vice-versa. Oiça aqui :

Nuno Barrento de Lemos Pires, Coronel da Academia Militar Portuguesa

O Coronel da Academia Militar Portuguesa Nuno Barrento de Lemos Pires respondia às perguntas de Marco Matins. 

 

 

 

 

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.