Acesso ao principal conteúdo
Ucrânia / Rússia

Crise entre a Rússia e a Ucrânia é uma verdadeira ameaça ?

Dois navios da marinha ucraniana, capturados pelos serviços de segurança russos do FSB, estão ainda ancorados num porto de Kertch, na Crimeia.
Dois navios da marinha ucraniana, capturados pelos serviços de segurança russos do FSB, estão ainda ancorados num porto de Kertch, na Crimeia. REUTERS / Alla Dmitrieva

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, pediu hoje aos países da NATO - e muito particularmente à Alemanha - o envio de navios de guerra para o Mar de Azov.Entretanto, a Rússia anunciou hoje o reforço das baterias anti-aéreas  já existentes na Crimeia, com o envio "muito brevemente”, duma bateria de mísseis anti-aéreos S-400.

Publicidade

A tensão entre a Rússia e a Ucrânia continua a aumentar, desde o incidente entre a Guarda Costeira russa e navios ucranianos, no Domingo passado, no Mar Negro. A  Rússia classificou o incidente como uma “provocação” , enquanto a Ucrânia denunciou um "acto de agressão", e pediu a libertação de seus fuzileiros e o regresso dos seus navios.

Hoje, o Presidente ucraniano pediu a ajuda da NATO. "A Alemanha é um dos nossos aliados mais próximos, e esperamos que os países da NATO estejam dispostos a enviar navios para o Mar de Azov para ajudar a Ucrânia e garantir a segurança" na região, declarou Poroshenko ao jornal alemão Bild.

Mesma tónica, do Embaixador da Ucrânia em Paris, Oleg Shamshur, que - em entrevista concedida  à RFI, apela os países amigos a enviar forças navais para o Mar Negro.

"As palavras, agora, já não chegam. É preciso ir mais longe, e nesse caso, é preciso aumentar as sanções. E é preciso também empregar os meios de dissuasão, com a Marinha de guerra. Por isso, convidamos os nossos parceiros que dispõem desses meios, a enviar navios de guerra para o Mar Negro, para dissuadir a Rússia de efectuar acções agressivas.Nós pensamos que a possibilidade de invasão terrestre continua a ser possível, sobretudo para criar uma ponte terrestre para a Crimeia."

Oiça aqui a intervenção do Embaixador da Ucrânia em Paris, Oleg Shamshur, com dobragem de Vitor Matias :

De referir que a polémica ponte unindo a Rússia à Crimeia, foi inaugurada no passado mês de Maio, facilitando assim as ligações terrestres. 

Desde ontem, a Ucrânia instaurou a lei marcial em regiões fronteiriças e do litoral, durante 30 dias. E por seu turno, a Rússia anunciou o reforço das baterias anti-aéreas  já existentes na Crimeia, com o envio "muito brevemente” duma bateria de mísseis anti-aéreos S-400.

A União Europeia manifesta preocupação quanto a esta situação. "Estamos consternados com o uso excessivo da força pela Rússia que, num contexto de crescente militarização na região, é inaceitável", afirmou a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, num comunicado representando os 28 países a União Europeia.

Quanto ao Fundo Monetário Internacional ( FMI), deverá ter uma reunião na primeira quinzena de Dezembro, para aprovar um programa de ajuda à Ucrânia, anunciou a Directora deste organismo, a francesa Christine Lagarde.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.