Acesso ao principal conteúdo
Estados Unidos

Braço-de-ferro entre Donald Trump e Nancy Pelosi

Braço-de-ferro entre presidente Donald Trump e Nancy Pelosi, presidente da câmara dos representantes
Braço-de-ferro entre presidente Donald Trump e Nancy Pelosi, presidente da câmara dos representantes REUTERS/Joshua Roberts

Não há sinal à vista de solução no braço-de-ferro entre o Presidente americano, Donald Trump e os democratas maioritários na Câmara dos representantes mas minoritários no Senado, a propósito da paralisia na administração federal que dura há 14 dias. Começa nova ronda de negociações entre o Senado e a Casa Branca, à procura duma solução, mas o presidente Trump, reafirmou manter a paralisia, deixando sem salários funcionários federais democratas.

Publicidade

Uma nova ronda de negociações começa actualmente na Casa Branca, entre senadores democratas e republicanos com o vice-presidente Mike Pence, na tentativa de encontrar uma solução ao bloqueio na administração federal, sem verbas para pagar funcionários há 14 dias.

O Presidente americano, Trump, decidiu bloquear os decretos de verbas para a administração federal, em retaliação à posição dos democratas que não querem votar o orçamento para a construção do muro ao longo da fronteira com o México, uma das suas promessas da campanha das eleições de 2016.

Até agora não tem havido progressos nas negociações entre os democratas, que controlam a Câmara dos representantes e os republicanos que dominam o Senado, com apoio do presidente Donald Trump.

Ontem, a recém eleita presidente democrata da Câmara dos representantes, Nancy Pelosi, declarou ter tido "uma longa conversa violenta" com o presidente Trump, que, pelo contrário, disse ter sido "uma reunião muito produtiva".

Mas, na sua conta Twiiter, Donald Trump, escreveu, "não estar preocupado se a maioria dos funcionários que não auferem os seus ordenados é democrata e que quer parar com o bloqueio logo que conseguir um acordo sobre uma fronteira forte de segurança".

Os democratas, por seu lado, continuam a dizer que não desbloquerão os fundos necessários à construção do muro na fronteira com o México.

De notar que apesar de os democratas terem uma maioria na Câmara dos representantes, mesmo votando decretos legislativos para desbloquear a situação na administração federal, terão de ter apoios dalguns senadores republicanos, o que parece não ser possível.

A ver vamos!

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.