Acesso ao principal conteúdo
Colômbia

Atentado com carro-bomba contra escola da polícia de Bogotá

"Acto terrorista cometido pelo ELN contra escola cadetes da polícia em Bogotá" afirma ministro da Defesa, Guillermo Botero.
"Acto terrorista cometido pelo ELN contra escola cadetes da polícia em Bogotá" afirma ministro da Defesa, Guillermo Botero. Fuente: Reuters.

O atentado-bomba de ontem contra a escola de cadetes oficiais da Polícia em Bogotá foi atribuído esta sexta-feira à guerrilha comunista, ELN, exército de libertação nacional. Aliás para o ministro colombiano da Defesa foi "um acto terrorista cometido pelo ELN" que fez 21 mortos e dezenas de feridos. O autor do atentado, José Aldemar Rojas Rodriguez, morreu também no atentado.

Publicidade

As autoridades de Bogotá atribuíram hoje à guerrilha comunista do exército de libertação nacional, ELN, a autoria do atentado de ontem com carro-bomba contra a escola de cadetes oficiais da Polícia nacional da capital, que fez 21 mortos e 68 feridos.

"Um acto terrorista cometido pelo ELN ceifou vidas" de estudantes da Escola de cadetes oficiais General Francisco de Paula Santander,  no sul da capital, denunciou o ministro colombiano da Defesa, Guillermo Botero.

O autor do atentado de nacionalidade colombiana, José Aldemar Rojas Rodriguez, lançou o seu carro-bomba com cerca de 80 quilos de explosivos, contra a escola da Polícia nacional, provocando os 21 mortos e 68 feridos. Ele morreu também no atentado. 

O governo de Bogotá, já prendeu entretanto o autor moral do atentado, Ricardo Andrés Carvajal, ao mesmo tempo que denunciava ligações de guerrilheiros do ELN com a Venezuela, onde se refugiam e dão treinamento.

"O governo sabe e compreende que o ELN não tenha nenhuma vontade de paz", reagiu, por seu lado, o Alto comissário para a paz, Miguel Ceballos.

Enfim, para Miguel Barreto Henrique, Director do Observatório da construção da paz, da Universidade Jorge Tadeo Lozano, em Bogotá, é provável que a guerrilha ELN, esteja por trás do atentado, mas nota, que, nestas situações, "o governo tenta responsabilizar alguém, imediatamente."

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.