Acesso ao principal conteúdo
Japão / Rússia

Ilhas Curilas : Pomo da discórdia entre Rússia e Japão

Entre 300 e 500 pessoas manifestaram hoje perto da estátua do General Souvorov, em Moscovo, contre a restituição ao Japão das ilhas Curilas
Entre 300 e 500 pessoas manifestaram hoje perto da estátua do General Souvorov, em Moscovo, contre a restituição ao Japão das ilhas Curilas Alexander NEMENOV / AFP

O Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, viajou hoje para Moscovo, onde participará, amanhã, numa cimeira com o Presidente russo Vladimir Poutin, sobre um contencioso que se arrasta há 70 anos: Quatro ilhas do arquipélago das Curilas, anexadas ao Japão pela Rússia durante a Segunda Guerra Mundial.

Publicidade

"As negociações com a Rússia estão pendentes há 70 anos, e não serão fáceis”, afirmou hoje o Primeiro - ministro japonês, Shinzo Abe, ao embarcar para a Russia.

A questão da pertença de quatro ilhas do Oceano Pacífico tem impedido que Moscovo e Tóquio assinem um tratado de paz, e a tensão subiu, quando, na semana passada, o Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov, insistiu que o Japão deve reconhecer que aquele arquipélago do Pacífico faz parte do território russo. E este será o ponto de partida para as negociações !

A 24 horas da cimeira entre os dois países, o Ministro das Relações Exteriores do Japão, Taro Kono, foi recebido hoje em Moscovo pelo seu homólogo russo, Serguei Lavrov, e no final do encontro, o ministro russo afirmou existirem "discrepâncias significativas" entre ambas as partes.

Cabe aqui referir que, em 1956, Moscovo e Tóquio restabeleceram relações diplomáticas, e assinaram a chamada "Declaração de 1956", que menciona a restituição de duas das quatro ilhas ao Japão, mas apenas quando um tratado de paz for assinado. Porém, o o texto foi anulado pela então URSS, em 1960, após a assinatura de um tratado de cooperação entre Tóquio e Washington.

É neste contexto de tensão, que cerca de 500 manifestantes nacionalistas de extrema esquerda manifestaram hoje perto do centro de Moscovo contra uma possível entrega das ilhas Curilas ao Japão, considerando que isso seria "uma traição de Estado".  

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.