Acesso ao principal conteúdo
Angola

Continua a política de combate à corrupção em Angola

Presidente angolano João Lourenço continua a dar combate à corrupção que vem da era de José Eduardo dos Santos
Presidente angolano João Lourenço continua a dar combate à corrupção que vem da era de José Eduardo dos Santos RFI/Neidy Ribeiro

O Presidente angolano, João Lourenço, continua com a sua política de combate à corrupção, exonerando ou prendendo novos responsáveis da administração central e local do estado de Angola. O procurador-geral da República, reafirmou, por seu lado, que a cruzada judicial contra a corrupção e os desvios de dinheiro público vai continuar.

Publicidade

As autoridades judiciais angolanas estao a trabalhar em vários processos judiciais, no quadro do combate a corrupção, considerado prioritário pelo Executivo do Presidente Joao Lourenço.

Altos funcionários da administração central e local do estado, foram detidos e acusados de crimes de corrupção e peculato.

Recentemente, foram detidos os ex-directores do Instituto Nacional de Estradas de Angola e de Estatística da Região de Cabinda. Foram igualmente detidos funcionarios da administraçao local nas provincias da Huíla, Bengo, Kwanza-Sul, Bié, Benguela e Huíje.

A cruzada judicial contra a corrupção e os desvios de dinheiro público vai continuar, segundo a Procuradoria Geral da República, que criou um gabinete  especial para dar o devido tratamento os processos judiciais em curso.

Entretanto, o Presidente João Lourenço, exonerou Miguel Damião Gago do cargo de Administrador do Fundo Soberano de Angola. Desconhecem-se as razões da exoneração de Miguel Gago, que foi nomeado para o cargo em Janeiro de 2018.

De Luanda, o nosso correspondente, Avelino Miguel. 

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.