Acesso ao principal conteúdo
Venezuela

Grupo de Lima na Colômbia a discutir futuro da Venezuela

Juan Guaidó, líder da oposição na Venezuela, está na Colômbia.
Juan Guaidó, líder da oposição na Venezuela, está na Colômbia. Federico Parra / AFP

O Grupo de Lima, está reunido em Bogotá, na Colômbia, com a participação dos Estados Unidos e do líder da oposição na Venezuela, Juan Guaidó, com o objetivo de definir os passos a seguir na crise venezuelana.

Publicidade

Reconhecido por cinquenta governos como presidente da Venezuela, Juan Guaidó, que está na Colômbia desde sexta-feira, pediu para que "todas as opções sejam mantidas em aberto" contra o actual Presidente Nicolás Maduro após a fracassada operação humanitária do último fim-de-semana.

Na reunião do Grupo de Lima, uma aliança de 13 países da América Latina e Canadá criada em 2017 para promover uma solução para a crise venezuelana, também participa o vice-presidente americano, Mike Pence, cujo governo cerrou fileiras em torno de Juan Guaidó.

Quatro países membros do grupo não participam na reunião: México, Costa Rica, Guiana e Santa Lúcia.

O presidente da Colômbia, Iván Duque, pediu um cerco "mais poderoso e efectivo" contra o governo de Nicolás Maduro durante a reunião do Grupo de Lima.

Mike Pence, por sua vez, afirmou a Juan Guaidó, que ele pode contar com o apoio absoluto de Donald Trump.

À margem desta reunião, Portugal e o Peru concordaram que a crise na Venezuela deve ser resolvida de forma pacífica, com eleições e sem intervenções externas de carácter militar, disse esta segunda-feira o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, após uma reunião com o homólogo peruano, Martín Vizcarra.

De notar que Portugal está presente na reunião como observador, sendo representado pela embaixadora em Bogotá, Gabriela Soares de Albergaria.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.