Acesso ao principal conteúdo
Turquia

Turquia: Derrota eleitoral para Erdogan

Mesa de voto em Diyarbakir. 31 de Março de 2019.
Mesa de voto em Diyarbakir. 31 de Março de 2019. Ilyas AKENGIN / AFP

O Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, sofreu pesadas derrotas este domingo nas eleições autárquicas. O AKP perdeu Ankara e Istambul, ainda que denuncie várias irregularidades.

Publicidade

A oposição reconquistou Ancara e Istambul 25 anos depois. A noite eleitoral foi de muita tensão e suspense depois das eleições locais deste domingo.

Esta manhã ficou confirmado que o presidente Recep Tayyip Erdogan e o seu Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) perderam Istambul, a maior metrópole turca (15 milhões de habitantes). Porém, o AKP alega ter um grande número de provas de irregularidades eleitorais.

De acordo com a comissão eleitoral e com números do Partido Republicano do Povo (CHP – principal partido da oposição), a oposição obteve 25.000 votos a mais que o AKP.

Para além do centro financeiro do país, a oposição ganhou também na capital, Ancara, (5 milhões de habitantes), em Izmir, Antalya, Adana e outras cidades da costa mediterrânica.

Em Ancara, a vitória do CHP também foi contestada pelo partido no poder que anunciou que vai apresentar recursos que podem levar à vitória do partido de Recep Tayyip Erdogan.

Apesar do AKP ter ganho a maioria das câmaras, perdeu os maiores centros populacionais do país, no que é um verdadeiro cartão amarelo à liderança de Erdogan, que se investiu pessoalmente neste escrutínio. O chefe de Estado chegou a dizer que era "crucial para salvar o país" e liderou toda a campanha.

Os resultados eleitorais refletem a grave crise económica em que o país está mergulhado. A Turquia urbana bateu o pé ao Presidente e avisou-o que a partir de agora a sua lendária invencibilidade está em risco.

Cerca de 57 milhões de eleitores foram chamados às urnas este domingo. De acordo com a agência de notícias turca Anatolie, o AKP e o seu aliado MHP obtiveram 51,7% dos votos e a taxa de participação foi de 84,52%.

Oiça aqui a reportagem de José Pedro Tavares, correspondente da RFI em Ancara.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.