Acesso ao principal conteúdo
Convidado

Arábia Saudita decapita e crucifica 37 opositores acusados de terrorismo

Áudio 09:51
De lenço vermelho, o carrasco (esq) das 37 pessoas executadas por terrorismo na Arábia Saudita a 23 Abril 2019
De lenço vermelho, o carrasco (esq) das 37 pessoas executadas por terrorismo na Arábia Saudita a 23 Abril 2019 HRW

A Aràbia Saudita esta terça-feira (23/04) executou 37 opositores, na sua maioria de confissão xiita, acusados de terrorismo e espiongem a favor da potência inimiga o Irão, 1 deles era menor aquando da sua condenação, 36 foram decapitados e 1 crucificado, pena suprema neste país.A comunidade internacional condenou unanimemente mas de forma "morna" um "julgamento de fachada" segundo a Amnistia Internacional, que conduziu a um "crime gravíssimo e de uma barbárie suprema", como começa por referir Álvaro Vasconcelos, antigo director do Instituto de Estudos de Segurança da União Europeia, que denuncia a "ditadura totalitária" que é a Arábia Saudita, que executa e prende opositores, sobretudo xiitas, acusando-os de terroristas, com a impunidade da comunidade internacional, que privilegia os negócios com a Arábia Saudita.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.