Acesso ao principal conteúdo
Estados Unidos

Trump lança-se na corrida para um 2° mandato

O Presidente Trump durante o lançamento oficial ontem à noite da sua campanha para um segundo mandato, em Orlando na Florida.
O Presidente Trump durante o lançamento oficial ontem à noite da sua campanha para um segundo mandato, em Orlando na Florida. ©REUTERS/Carlo Allegri

Donald Trump lançou oficialmente ontem à noite em Orlando, na Florida, a sua campanha para um 2° mandato no âmbito das presidenciais de 2020. Falando perante um público de 20 mil pessoas no Amway Center num Estado tido como um dos pontos estratégicos na campanha eleitoral, Trump retomou o seu lema de 2016, "Make America great again" e o seu tema favorito, a imigração.

Publicidade

"Vamos continuar a lutar para pelos homens e pelas mulheres de cada canto deste país com todo o nosso coração, nosso espírito, nosso suor, nossa alma... vamos continuar a devolver a sua grandeza à América e, a seguir, vamos conservá-la deste modo. Vamos conservar a sua grandeza mais do que nunca... e é por isso que estou aqui diante de vós para oficialmente lançar a minha campanha para um segundo mandato enquanto presidente", clamou o chefe de Estado americano.

"Juntos vamos continuar a soltar o poder das empresas americanas para que cada americano conheça a dignidade do trabalho e o orgulho de receber um salário. Vamos eleger um congresso Republicano para criar um sistema de imigração legal, seguro e moderno. Perante as novas ameaças, defenderemos o direito de conservar e de possuir armas. Fomos abençoados por Deus com a mais bela Nação à face da terra e vamos conservá-la desta forma" disse ainda Trump. Mais pormenores aqui.

Ao afirmar que os seus adversários democratas pretendiam mudar radicalmente o país e autorizar a entrada de migrantes para votar e aumentar a sua base eleitoral, o presidente e candidato acusou os democratas de "querer destruir o país tal como o conhecemos" mas que "isso não iria acontecer".

Aos 73 anos, o magnata do sector imobiliário que criou a surpresa ao ser eleito presidente em 2016, pretende agora repetir o feito e acumular 8 anos no poder como o fizeram os seus antecessores, Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton. Diante dele, no campo adverso, estão mais de 20 candidatos às primárias democratas. Destacam-se entre os seus rivais democratas o antigo vice-presidente Joe Biden, 76 anos, situado politicamente no centro, bem como o senador Bernie Sanders, 77 anos, situado na ala socialista dos democratas.

Apesar do balanço de Trump ser considerado contrastado no respeitante a dossiers internacionais, já a nível interno, os Estados Unidos têm vindo a conhecer melhorias económicas durante a sua presidência, nomeadamente relativamente à taxa de desemprego que caiu nos 3,6%, o seu nível mais baixo desde 1969. Não obstante estes dados, de acordo com uma sondagem da Reuters / Ipsos publicada no dia 11 de Junho, o 45° Presidente dos Estados Unidos recolhe 40% de opiniões favoráveis, sendo que 57% dos sondados rejeitam a sua acção.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.