Acesso ao principal conteúdo
Venezuela

Venezuela: ONU pede libertação de "presos políticos"

A Alta comissária da ONU para os direitos humanos, e antiga presidente socialista do Chile, Michelle Bachelet, e Nicolas Maduro, em Caracas.
A Alta comissária da ONU para os direitos humanos, e antiga presidente socialista do Chile, Michelle Bachelet, e Nicolas Maduro, em Caracas. REUTERS/Manaure Quintero

Na Venezuela, A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos pede a libertação dos opositores ao regime, presos durante as manifestações pacíficas de 2017. 

Publicidade

Michelle Bachelet confirmou ainda, no final da sua visita de três dias à Venezuela, que se manterá no país uma equipa das Nações Unidas com o objectivo de zelar pelo respeito dos direitos humanos.

No final desta sua visita à Venezuela, a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos frisou as graves violações de direitos humanos na Venezuela, o uso excessivo da força, as execuções sumárias e a prática de tortura num país que vive uma crise humanitária grave.

O Presidente Nicolas Maduro reagiu de seguida, dizendo que analisará de "forma séria" o apelo para a libertação de presos, feito pela responsável da ONU, sublinhando que serão, contudo, utilizados "critérios diferentes".

Segundo a ONG Foro Penal, há mais de 700 “presos políticos” na Venezuela, apesar de o Presidente Maduro recusar utilizar o termo, e falar dum “complot” que visava derrubar o governo.

Para além do encontro de duas horas, com Nicolas Maduro, a Comissária Bachelet, ex-presidente do Chile, reuniu com o auto-intitulado presidente interino, Juan Gaido.

Recorde-se que, a nível político, a Venezuela vive ao ritmo dum braço de ferro entre o presidente Maduro e o presidente interino Gaido. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.