Acesso ao principal conteúdo
Estados Unidos

Matanças em cidades dos Estados Unidos contra mexicanos

Tiroteio no Texas em frente ao supermercado Walmart frequentado por mexicanos nos Estados Unidos
Tiroteio no Texas em frente ao supermercado Walmart frequentado por mexicanos nos Estados Unidos Joel Angel JUAREZ / AFP

No espaço dalgumas horas disparos violentos semearam ontem à noite mortes e feridos com um homem a disparar em Dayton no Ohio matando 9 pessoas tendo sido abatido pela polícia; mas antes em El Paso no Texas o balanço foi mais pesado, com outro homem a matar 20 pessoas e ferindo outras 26, nomeadamente mexicanos, numa acção abertamente racista e xenófoba.

Publicidade

Dois tiroteios violentos marcaram o dia de ontem à noite nos Estados Unidos, 9 pessoas foram mortas durante disparos em Dayton no Ohio, no noroeste do país, anunciou a polícia local que matou o autor dos tiros.

Horas antes tinha sido em El Paso, no Texas, outro indivíduo disparou matando 20 pessoas e 16 pessoas foram hospitalizadas devido a ferimentos.

Os disparos de Dayton, ocorreram no centro histórico de Oregon, muito frequentado. 

Na troca de tiros com a polícia ele acabou por ser morto.

No Texas, foi outro jovem atirador que abriu fogo num supermercado da cadeia Walmart de El Passo, matando 20 pessoas, nomeadamente, 3 mexicanos e ferindo 26 outras pessoas. 

A polícia prendeu o jovem de 21 anos e abriu um inquérito sobre crime de ódio de carácter racista. O jovem já admitiu que a sua intenção era a de matar o maior número de pessoas possíveis.

Um manifesto, atribuído ao atirador tinha sido colocado na Internet denunciando "uma invasão hispânica do Texas" e fazia ainda referência à matança de 51 pessoas cometida por um supremacista branco em duas mesquitas de Christchurch na Nova Zelândia em março.

Cidade fronteiriça com o México, El Passo tem 680 mil habitantes, dos quais 83% são hispânicos. El Paso teve em média 18 assassínios por ano nos últimos 5 anos.

O Presidente Donald Trump, denunciou na sua conta Twitter, o "tiroteio trágico, um acto cobarde", sublinhando que "nunca haverá razões ou desculpas para justificar o assassínio de pessoas inocentes".

Mas na oposição há democratas que acusam a política de imigração de Trump e as suas derrapagens verbais xenófobas e racistas.

Em plena campanha das primárias dos democratas para as presidenciais de 2020, o pré-candidato Joe Biden, reagiu dizendo que já é "tempo de agir para pôr termo a esta epidemia de violência que está ligado ao uso de armas nos Estados Unidos, que é um direito fundamental inscrito na Constituição americana.

Uma vez mais o uso e porte de armas vai ser um dos grandes temas de debate durante a campanha para as presidenciais de 2020.

Convém dizer, no entanto, que a esmagadora maioria dos americanos continua a defender a segunda emenda constitucional que dá direito ao uso de armas.

Por outro lado, a questão da violência e do uso de armas no tempo do presidente Obama com Joe Biden como vice-presidente a situação não era melhor e a maioria dos democratas aprova a emenda constitucional sobre as armas.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.