Acesso ao principal conteúdo
Nobel da Paz

Nobel da Paz atribuído a Abiy Ahmed Ali

Primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, venceu Nobel da Paz.
Primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, venceu Nobel da Paz. REUTERS/Tiksa Negeri/File Photo

O Prémio Nobel da Paz de 2019 foi atribuído ao primeiro-ministro etíope Abiy Ahmed Ali anunciou o Comité Nobel da Noruega em Oslo.

Publicidade

O primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed Ali, ganhou o 100° Nobel da Paz. O anúncio foi feito pela porta-voz do Comité Nobel, Berit Reiss-Andersen.

O Comité Nobel da Noruega decidiu conceder o Prémio Nobel da Paz de 2019 ao primeiro-ministro etíope Abiy Ahmed Ali pelos seus esforços para alcançar a paz e a cooperação internacional, e em particular pela sua iniciativa decisiva para resolver o conflito fronteiriço com a vizinha Eritreia. O prémio também visa reconhecer todas as partes interessadas que trabalham pela paz e reconciliação na Etiópia e nas regiões leste e nordeste da África”, concluiu.

O valor do prémio ganho por Abiy Ahmed Ali é de 9 milhões de coroas suecas, cerca de 828 mil euros, que lhe serão entregues em Dezembro.

O comité que atribui o Nobel da Paz recebeu este ano as nomeações de pelo menos 301 candidatos, 223 pessoas e 78 organizações.

As casas de apostas apontavam como favoritos ao Nobel a ambientalista sueca Greta Thunberg, o Papa Francisco, o Presidente norte-americano Donald Trump, e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

Quem é Abiy Ahmed Ali?

A 2 de abril de 2018, Abiy Ahmed Ali, com 43 anos e engenheiro informático de formação, tornou-se primeiro-ministro da Etiópia. À frente do Governo etíope, o primeiro-ministro promoveu uma série de reformas políticas e económicas. Recorde-se que a Etiópia foi considerada uma das nações mais repressivas de África.

Abiy Ahmed Ali estabeleceu uma linha de separação entre o seu governo e os anteriores, nomeando por exemplo antigos dissidentes e um grande número de mulheres para cargos públicos e políticos.

100° Nobel da Paz

Este é o 100° prémio Nobel da Paz. Antes de Abiy Ahmed Ali, já várias outras pessoas e instituições foram distinguidas com o galardão. O prémio de 2018 foi atribuído a Denis Mukwege, médico congolês que operou dezenas de milhares de mulheres violadas de forma bárbara, e Nádia Murad, iraquiana yazidi que foi raptada e escravizada pelo Daesh.

Este galardão tem como objectivo distinguir quem “conferiu o maior benefício à humanidade” nos 12 meses anteriores. De referir por último que a comissão atribui prémios em seis áreas distintas: física, química, medicina, literatura, paz e economia.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.