Acesso ao principal conteúdo
Turquia

Turquia continua a fustigar cidades curdas no norte da Síria

Explosões na cidade síria de Ras Al Aïn na fronteira com Turquia onde há combates entre turcos e curdos
Explosões na cidade síria de Ras Al Aïn na fronteira com Turquia onde há combates entre turcos e curdos REUTERS/ReutersTV

Forças do exército turco entraram hoje numa cidade curda do norte da Síria onde há intensos combates. O Presidente turco, Erdogan, continua surdo aos apelos da comunidade internacional, nomeadamente, de Paris, para parar com a sua ofensiva militar contra os curdos na Siria. Ancara dispara mesmo contra soldados americanos.

Publicidade

Forças do exército turco entraram hoje numa cidade curda do norte da Síria com a Turquia determinada a prosseguir com a sua operação, surda aos apelos internacionais para suspender as suas acções contra curdos naquela região.

Em Ancara, o ministério da Defesa, afirmou que forças turcas capturaram Ras al-Aïn, cidade fronteiriça com a Turquia.

Forças curdas desmentiram e segundo o Observatório sírio dos direitos humanos as forças turcas conseguiram entrar na cidade mas os combates continuam.

O certo é que desde ontem à noite tem havido intensos combates de grande violência tendo as forças turcas conquistado 11 cidades, a maioria perto de Tal Abyad, igualmente, na mira das forças turcas.

Desde o lançamento da operação, na quarta-feira, as forças turcas já assaltaram 23 pequenas cidades. 

Turquia ameaça mesmo soldados americanos na Síria 

Segundo o Pentágono, soldados americanos estacionados perto de Kobané, a oeste de Ras al-Aïn, foram alvos da artilharia turca mas não houve vítimas.

Um responsável americano, disse ainda que os soldados americanos continuam a fazer as suas patrulhas quotidianas mas evitam zonas de combate.

Na segunda-feira a retirada de dezenas desses soldados americanos deu a entender que o Presidente Trump deixou campo aberto à ofensiva turca o que foi aliás vista como uma traição.

O chefe da Casa Branca, ameaçou, posteriormente, a Turquia, com sanções económicas.

E por cá em Paris, o Presidente Macron, condenou a operação militar turca e apelou o Presidente turco Erdogan a pôr um termo à mesma o mais rapidamente possível.

Contudo, Erdogan, reagiu, declarando que "podem dizer o que quiserem mas não vai parar com a operação".

Organizações não governamentais, alertaram para um novo desastre humanitário na Síria, onde a guerra, já fez desde 2011, mais de 370.000 mortos e provocou milhões de deslocados.

Enfim, a Turquia, que levou a cabo duas ofensivas, no norte da Síria, em 2016 e 2018, deseja instalar numa futura zona de segurança uma parte dos 3,6 milhões de refugiados sírios que vivem em território turco.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.