Acesso ao principal conteúdo
Reino Unido

Boris Johnson não assina nova derrota

Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson. 19 de Outubro de 2019.
Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson. 19 de Outubro de 2019. Niklas HALLE'N / AFP

No Reino Unido, o primeiro-ministro, Boris Johnson, enviou três cartas para Bruxelas depois do Parlamento o ter obrigado a pedir um adiamento do Brexit. Apenas uma está assinada, na qual ele reitera que não quer um adiamento.

Publicidade

Apesar de uma derrota frustrante, este sábado, que obrigou Boris Johnson a pedir o adiamento que nunca quis, o governo britânico vai avançar com a votação do acordo e da legislação para o Brexit esta semana para tentar concluir o processo nos 10 dias que faltam até 31 de Outubro. Mas a saga está longe de estar terminada.

O partido Trabalhista está agora determinado a forçar um segundo referendo, disse, este domingo, o deputado Keir Starmer à BBC: “Precisamos de uma emenda que diga que qualquer acordo que seja aprovado deva ser sujeito a um referendo e que pergunte: quer sair nestes termos ou prefere ficar na União Europeia?”.

Mesmo assim, a meta parece estar à vista para o primeiro-ministro britânico. Contra todas as expectativas, Boris Johson negociou um novo acordo com uma solução diferente para a Irlanda do Norte que convenceu eurocépticos e suficientes deputados trabalhistas. O problema é que pelo caminho perdeu que o apoio dos aliados unionistas… E sem uma maioria confortável no Parlamento, é certo que o primeiro-ministro vai encontrar mais solavancos pela frente.

Oiça aqui a reportagem de Bruno Manteigas, correspondente da RFI em Londres.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.