Acesso ao principal conteúdo
Convidado

Chilenos querem mudanças, não promessas

Áudio 09:52
Protestos em Santiago de Chile, 22 de Outubro de 2019.
Protestos em Santiago de Chile, 22 de Outubro de 2019. REUTERS/Edgard Garrido

O Chile prossegue para o quinto dia de protestos contra o governo chileno, na sexta-feira foi decretado o Estado de Emergência com recolher obrigatório entre as 19h00 e as 6h00.Esta terça-feira, o Presidente Sabastián Piñera vai reunir com a oposição para encontrar um "acordo social" e encontrar respostas aos problemas da população, numa altura em que o balanço da violência atingiu 15 mortes.Nos últimos dias, milhares de pessoas juntam-se na Plaza Italia, no centro de Santiago com cartazes onde, por exemplo, se pode ler “não estamos em guerra”, depois de o Presidente chileno ter afirmado estar “em guerra contra um inimigo poderoso”.Os chilenos reforçaram os apelos às forças políticas para encontrar medidas concretas e acabar com as profundas desigualdades sociais.A professora universitária na Universidad Academia de Humanismo Cristiano em Santiago, Ana Figueiredo, descreve-nos o cenário deste quinto dia de protestos na capital chilena.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.