Acesso ao principal conteúdo
Estados Unidos da América

Câmara dos Representantes dá luz verde a inquérito para a destituição de Trump

Os democratas acusam o presidente Donald Trump de abuso de poder
Os democratas acusam o presidente Donald Trump de abuso de poder REUTERS/Leah Millis

A Câmara dos Representantes de maioria democrata aprovou esta quinta-feira o inquérito para a destituição de Donald Trump, levando a investigação no Congresso para uma fase pública.

Publicidade

Com uma maioria de 232 votos, os congressistas norte-americanos abriram esta quinta-feira a porta a uma nova fase para a destituição do presidente norte-americano: audições em público de testemunhas já ouvidas à porta fechada, que acusam a Casa Branca de reter ajuda financeira à Ucrânia caso o país não investigasse Joe Biden, adversário político de Trump.

No entanto, e apesar da votação ter sido o primeiro teste formal para se perceber se a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, reunia apoio para a investigação ao presidente, o mais provável é que Trump nunca venha a ser condenado.

É que mesmo que a Câmara dos Representantes venha a acusar o presidente
quando o processo subir ao Senado a acusação deverá ser rejeitada já que é necessária uma mairioa de dois terços, ou seja 47 votos, sendo que os democratas não vão além dos 47.

Ainda assim, caso os congressistas se mostrem decididos em afastar o presidente, ao votar uma acusação final, Trump entra para a história como o terceiro presidente a ser impugnado.

Quer isto dizer que é acusado no Congresso de crimes graves, suscetíveis de destituição, sendo que o processo segue depois para o Senado. O mesmo aconteceu, em 1868, com Andrew Johnson, e em 1998 com Bill Clinton: ambos acusados, mas não destituídos.

Na rede social Twitter, Trump não tardou em reagir à formalização do inquérito que poderá levar ao impeachment.: "É a maior caça às bruxas na História Americana!".

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.