Acesso ao principal conteúdo
HONG KONG

Hong Kong: manifestante ferido com gravidade

Polícia detém um manifestante em Hong Kong,a 11 de Novembro de 2019.
Polícia detém um manifestante em Hong Kong,a 11 de Novembro de 2019. REUTERS/Tyrone Siu

Em Hong Kong o dia foi de protestos, denunciando nomeadamente a morte na semana passada de um jovem na sequência de uma queda, com em pano de fundo a contestação desde há cinco meses. A polícia utilisou gás lacrimogéneo e disparou, mesmo, com balas reais nesta segunda-feira ferindo com gravidade um manifestante.

Publicidade

A morte confirmada na sexta-feira de um estudante de 22 anos foi contestada nesta segunda-feira nas ruas de Hong Kong.

A polícia utilizou gás lacrimogéneo e disparou, mesmo, com balas reais contra manifestantes.

Por outro lado um indivíduo acabou por se transformar numa verdadeira chama humana depois de um desconhecido o ter regado com um líquido inflamável que pegou lume.

A circulação esteve paralisada em larga escala nesta região administrativa especial da China onde um movimento de contestação de há cinco meses a esta parte não tem esmorecido.

E isto não obstante as autoridades terem abandonado um projecto de dispositivo que previa repatriar suspeitos para a China popular, o movimento alastrou, ao longo dos meses, para outras reivindicações pedindo mais democracia e autonomia para o antigo território britânico.

Jason Santos, professor de inglês nesta agora região administrtiva especial da China, faz-nos o ponto da situação.

Ele admite estar pessimista quanto à resolução do impasse actual onde o governo tem estado ausente em relação às reivindicações dos membros mais radicais do movimento que, estes, não arredam pé das respectivas exigências.

 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.