Acesso ao principal conteúdo
Chile

Senado no Chile quer referendo em 2020 para revisão da Constituição

Presidente chileno Sebastian Piñera abriu caminho para o Senado aprovar referendo da revisão da constituição em 2020
Presidente chileno Sebastian Piñera abriu caminho para o Senado aprovar referendo da revisão da constituição em 2020 AFP Photos/Chilean Presidency/HO

No Chile começaram há precisamente um mês os protestos denunciando as dificuldades económicas com que se deparam os cidadãos. Um referendo acaba de ser aprovado pelo parlamentares para a revisão da Constituição no mês de abril de 2020. Mas continuam as manifestações reclamando reformas sociais.

Publicidade

Os parlamentares chilenos aprovaram ontem à noite a realização de um referendo em abril de 2020 com vista à revisão da Constituição, uma das reivindicações do movimento de protesto iniciado há um mês no Chile reclamando reformas sociais.

Duas questões serão colocadas aos eleitores: são favoráveis ao princípio de uma nova Constituição e os parlamentares  no activo devem participar na comissão de redacção da revisão constitucional?

A Constituição em vigor data do tempo da ditadura de Pinochet, que esteve no poder, no CHile de 1973 a 1990.

Presidente Piñera abriu caminho para a revisão constitucional

O Presidente conservaor, Sebastian Piñera, que até agora era contra a revisão da Constituição, pressionado pelo movimento de protesto, deu luz verde esta semana à deia de rever a lei fundamental numa tentativa de retomar o controlo da situação.

Assim, o Senado, reuniu-se para se pronunciar sobre um documento intitulado "Acordo para a paz e uma nova Constituição" e votado pela maioria dos partidos representados, com a excepção dos comunistas e dos humanistas.

Sobre a votação e a situação no país, ouvimos, Ana Figueiredo, professor da Psicologia na Universidade de Santiago do Chile. 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.