Acesso ao principal conteúdo
Convidado

“É necessário uma cimeira europeia para reflectir o Sahel"

Áudio 07:46
Um helicóptero da operação Barkhane.
Um helicóptero da operação Barkhane. REUTERS/Benoit Tessier

A morte dos 13 militares franceses no Mali, trouxe à ordem do dia a questão sobre o futuro da operação militar francesa, que há seis anos combate o terrorismo na região do Sahel.

Publicidade

4.500 militares franceses integram a operação, que segundo o primeiro-ministro Edouard Philippe, é “indispensável (...) para manter a estabilidade política e o desenvolvimento económico” da região.

O anúncio da morte dos 13 soldados na segunda-feira num choque entre helicópteros divide a opinião pública. De um lado os que dizem ser um preço demasiado alto para a França, do outros os que defendem, como François Hollande, que que sem esse dispositivo todo o Mali teria sido ocupado por extremistas islâmicos.

Para analisar esta questão a RFI ouviu José Manuel Anes, especialista em terrorismo e segurança.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.