Acesso ao principal conteúdo
Espanha

PM espanhol Pedro Sánchez tenta governo com independentistas catalães

PM espanhol, Pedro Sánchez, defende seu programa no Parlamento depois de acordo com independentistas da Catalunha
PM espanhol, Pedro Sánchez, defende seu programa no Parlamento depois de acordo com independentistas da Catalunha ®REUTERS/Sergio Perez

Em Espanha, começa hoje e decorre até terça-feira a sessão de investidura do líder socialista, Pedro Sánchez, para continuar à frente do Governo. Pedro Sánchez venceu as eleições de 10 de novembro sem maioria e  espera conseguir formar um Governo de união com o partido Podemos após meses de bloqueio no país.

Publicidade

O socialista espanhol, Pedro Sánchez, defendeu hoje perante os deputados a sua candidatura para ser investido presidente do governo, ou seja primeiro ministro, de uma união da esquerda inédita, com os independentistas catalães fazendo do diálogo na Catalunha "uma prioridade absoluta".

"A Espanha não vai dividir-se nem rasgar a sua Constituição; o que vamos quebrar é o bloqueio político que prevalece há 8 meses, declarou, logo de entrada, Pedro Sánchez, numa mensagem dirigida à direita e à extrema direita que o acusaram de querer dar cabo do país, durante uma sessão parlamentar agressiva

O país está bloqueado desde as últimas eleições que os socialistas ganharam a 10 de novembro de 2019 mas sem maioria.

Sánchez quer apoio de Podemos e dum partido catalão para governar 

Sanchez, apresentou assim ao Parlamento o programa do governo que os socialistas entendem formar com os seus antigos rivais do partido anti-austeridade, Podemos.

Um programa que prevê aumentar os salários dos mais pobres, aumentar a carga fiscal dos mais ricos e das grandes empresas e rever aspectos da reformar do mercado de trabalho de 2012.

O primeiro voto de confiança de amanhã, domingo, não deve dar uma maioria absoluta a Sanchez, necessária para regressar ao poder, o que obrigará os deputados a ir para uma segunda votação na terça-feira, onde basta que obtenha mais votos SIM que NÃO.

Sanchez, salvo uma mudança espectacular, tem garantias de obter os votos necessários na terça-feira desde que o primeiro partido independentista catalão, Esquerda republicana da Catalunha validou na quinta-feira um acordo concluído com os socialistas viabilizando a investidura pela abstenção dos seus 13 deputado.

A ver vamos!

PM espanhol Pedro Sánchez tenta governo com independentistas catalães

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.