Acesso ao principal conteúdo
Coreia do Sul

Coreia do Sul: Escolas reabrem após descida do número de casos diários

As escolas abriram na Coreia do Sul com medidas para proteger os alunos como aqui na cidade de Daejeon.
As escolas abriram na Coreia do Sul com medidas para proteger os alunos como aqui na cidade de Daejeon. © STR / YONHAP / AFP

Milhares de crianças regressaram às aulas na Coreia do Sul nesta quarta-feira 20 de Maio após mais de dois meses com as escolas encerradas.

Publicidade

A Coreia do Sul voltou a ter um aumento do número de casos diários na semana passando com mais de 25 pessoas infectadas por dia durante seis dias. Perante esse aumento que se verificou na capital, Seul, as autoridades decidiram fechar estabelecimentos num bairro em particular onde há muitos restaurantes e bares.

Bruno Baio, futebolista brasileiro do Daejeon Hana Citizen, explicou o que aconteceu, lembrando as medidas adoptadas pelas autoridades sul-coreanas.

Houve alguns casos na capital pelo simples facto de uma pessoa [ndr: infectada] ter ido a várias festas no mesmo bairro e logicamente como estava tudo aberto, muitas pessoas estavam nas festas. Até pessoas daqui da cidade onde eu moro estavam nessas festas, cerca de 30 pessoas da minha cidade. Claro que as pessoas ficaram com bastante medo. O Governo pediu para fechar”, frisou o avançado brasileiro.

O futebolista, cujo campeonato sul-coreano regresso aos relvados, admitiu que a situação está tranquila na Coreia do Sul:Aqui está mais tranquilo, recebi alguns alertas no telefone, só que os alertas são para colocar a máscara, nada além disso. As medidas são as mesmas que se pedem em todos os lugares acho: usar máscara, gel hidroalcoólico, não ficar em lugares onde há um grande aglomerado de pessoas, e evitar ao máximo ir para esses lugares”, constatou, acrescentando que ele é mais caseiro: “Eu particularmente fico mais em casa. É difícil sair para esses lugares. Eles também pedem para evitar o comboio, porque da minha cidade até à capital são 40 minutos de comboio, enquanto de carro é uma hora e meia, duas horas, por causa do trânsito. Em todos os lugares onde se vai, tem aquela câmera infra-vermelha que mede a temperatura quando entra. Assim pode-se entrar em lugares como shoppings ou ainda restaurantes”, concluiu o avançado brasileiro de 24 anos.

Bruno Baio, avançado brasileiro do Daejeon Hana Citizen

Entretanto o número de casos por dia voltou a descer no país asiático e as autoridades autorizaram milhares de crianças a regressarem às aulas na Coreia do Sul.

De referir que a pandemia de Covid-19 fez 263 mortes e já contaminou 11 110 pessoas na Coreia do Sul.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.