Acesso ao principal conteúdo
França/Política

Partido no poder em França perde maioria absoluta no parlamento

Cédric Villani, ex-candidato às  eleições autárquicas de Paris, é  um dos deputado dissidentes do partido governamental, que formaram na terça-feira, 19 de Maio de 2020,a tendência "Ecologia,Democracia e Solidariedade",nono grupo na vigente Assembleia Nacional de França.
Cédric Villani, ex-candidato às eleições autárquicas de Paris, é um dos deputado dissidentes do partido governamental, que formaram na terça-feira, 19 de Maio de 2020,a tendência "Ecologia,Democracia e Solidariedade",nono grupo na vigente Assembleia Nacional de França. AFP/File

La République en Marche, partido do Presidente Emmanuel Macron foi afectado por uma nova dissidência que  faz com que o mesma perca a maioria absoluta na Assembleia Nacional francesa.O grupo dissidente é composto por dezassete deputados e segundo os analistas, a sua partida reflecte o mal-estar que prevalece no seio dos partidários de Macron.

Publicidade

O grupo de 17 deputados dissidentes, é formado por adeptos e  ex-partidários de Emmanuel Macron. 

A partir de terça-feira, os dissidentes de La  République en Marche, apresentam-se como “Ecologia, Democracia e Solidariedade” e tornam-se o nono grupo na vigente Assembleia Nacional. 

 

Segundo os analistas em Paris, a consequência directa para o movimento lançado por Emmanuel Macron, é a perda, pelo menos provisoriamente, da maioria absoluta no parlamento francês.

“Ecologia, Democracia e Solidariedade” reivindica a sua independência, afirmando que não faz parte da maioria, nem da oposição. 

 Entre os deputados do novo grupo parlamentar estão, nomeadamente, Mathieu Orphelin, próximo do antigo ministro da transição ecológica, Nicolas Hulot e Cédric Villani, da ala esquerda de La République en Marche, e ex-candidato às eleições autárquicas de Paris.

Com este nono grupo na Assembleia Nacional francesa, o partido de Emmanuel Macron perde sete membros e a sua bancada parlamentar baixa para  288 deputados, ou seja, precisamente abaixo do limiar previsto para uma  maioria parlamentar em França, que é de 289 deputados.

De  acordo com o novo grupo parlamentar, a sua ambição é obrar por uma transformação social e ecológica da França.

Em 2017, ano da vitória na eleição presidencial de Emmanuel Macron, a bancada parlamentar macronista era composta por 314 deputados.

 

Os analistas em Paris consideram que, esta nova dissidência reflecte o mal-estar  provocado por algumas das reformas económicas e sociais, implementadas por Emmanuel Macron, no seio do seu partido.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.