Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe

OGE com receita interna

Dobra, divisa de São Tomé e Príncipe
Dobra, divisa de São Tomé e Príncipe Banco Central de São tomé e Príncipe

O projecto do Orçamento Geral do Estado de São Tomé e Príncipe para 2020 está avaliado em quase 143 milhões de euros e, de acordo com o ministro do Parlamento e Finanças, prevê que metade do valor tenha origem nas receitas internas.

Publicidade

O executivo são-tomense entregou, na passada sexta-feira, no parlamento o projecto do Orçamento geral do Estado para 2020 avaliado em quase 143 milhões de euros. De acordo com o ministro do Parlamento e Finanças, Osvaldo Vaz, o documento prevê que mais de metade do valor, 52,4% tenha origem em receitas internas, o restante montante virá das receitas externas.

O Orçamento geral do Estado de São Tomé e Príncipe foi elaborado com o apoio do Fundo Monetário Internacional, nomeadamente a questão que está relacionada com a receita e despesas correntes.

O responsável pela pasta do Parlamento e Finanças garantiu que a taxa de inflação deverá manter-se em 5,4%, valor registado em Setembro, quanto ao défice primário poderá manter-se igualmente em 2,1% e as reservas internacionais estão previstas para três meses e meio.

O Fundo Monetário Internacional terminou na semana passada uma missão ao país onde avaliou a situação macro-económica. No final, o FMI e apresentou um relatório no qual prevê um abrandamento na economia são-tomense.

Em resposta, o Estado são-tomense vai implementar uma reforma fiscal, da qual vai fazer parte a implementação do IVA, prevista até Março de 2020.

 

 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.