Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe

UE ajuda no combate à violência doméstica

UE ajuda no combate à violência doméstica
UE ajuda no combate à violência doméstica iStock / laflor

A União Europeia e São Tomé e príncipe assinaram hoje um acordo que vai permitir o aconselhamento contra a violência doméstica em todo país. A ministra dos Negócios Estrangeiros considera que este acordo vai dar voz às mulheres são-tomenses vítimas de violência.

Publicidade

O acordo, avaliado em cerca de dois milhões, vai permitir ao Centro de Acolhimento Contra a Violência Doméstica, instituição que está sob a tutela do ministério da Justiça, prosseguir a sua missão e alargar as actividades.

A ministra são-tomense dos Negócios Estrangeiros, Elsa Pinto, considera que este acordo vai dar voz às mulheres são-tomenses vítimas de violência.

“Temos aqui ingredientes para iniciar um longo trabalho de alteração do status quo desta nossa realidade e buscar sempre patamares melhores”, disse.

A embaixadora da União Europeia, Rosário Peres, afirmou que o bloco europeu está disponível para ajudar o país no combate à violência doméstica.

 

“Precisamos de dar mais visibilidade a um problema antes escondido. Precisamos de trazer mais consciencialização para os direitos das mulheres, mudar a perspetiva dos papéis e responsabilidades definidas culturalmente entre homens e mulheres no âmbito doméstico”, acrescentou.

De acordo com um relatório do Departamento de Estado norte-americano, publicado no início deste ano, o uso excessivo da força, mortes provocadas pelas autoridades e a violência doméstica são os problemas que São Tomé e Príncipe.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.