Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe/Covid-19

São Tomé e Príncipe regista 1° morto de Covid-19 e 18 casos positivos

Teste ao Covid-19
Teste ao Covid-19 AFP/Archivos

São Tomé e Principe deveria prolongar o estado de emergência sanitária devido à pandemia de Covid-19, cuja segunda fase termina esta sexta-feira, no momento em que o país registou o primeiro morto e 18 casos positivos. 

Publicidade

O Presidente Evaristo Carvalho mostra-se no entanto optimista quanto à evolução da pandemia de Covid-19 no país que segundo ele está preparado para fazer face à pandemia de Covid-19.

"Temos médicos, enfermeiros e técnicos de saúde com preparação suficiente, para lidar com pacientes com sintomas severos nos cuidados intensivos a necessitar de ventilição e diligências estão em curso para o reforço do pessoal".

Os titulares dos orgãos de soberania são unânimes na extensão por mais um período de estado de emergência, numa  altura em que o arquipélago registou o primeiro morto, um cidadão sao-tomense de 55 anos no distrito de Cantagalo, a sul da ilha de São Tomé, anunciado pelas autoridades sanitárias esta quinta-feira (30/04) e o aumento para 18 dos casos positivos ao Covid-19.

Destes 18 casos positivos, 4 recuperados, 9 internados e 4 em isolamento, de acordo com boletim diário sobre a pandemia divulgado esta sexta-feira (01/04) pela Directora dos Cuidados da Saúde, Feliciana Pontes, que alertou também para o facto de muitos sao-tomenses não cumprirem as medidas de prevenção adoptadas pelo governo, como o recolher obrigatório das 19 horas até às 6 da manhã.

Com o fim do segundo período de estado de emergência esta sexta- feira (1/05) os titulares dos órgãos de soberania devem decidir o seu prolongamento.

São Tomé e Príncipe, que até Março último não tinha meios para diagnosticar o novo coronavírus, importou mais de 1.000 testes rápidos, que chegaram ao país em Abril, mas os casos multiplicam-se e o arquipélago é um dos países mais afectados no Golfo da Guiné, comparativamente à sua população.

O multimilionário chinês Jack Ma e a sua Fundação Ali Baba já enviou para São Tomé e Príncipe dois aviões com material médico, designadamente para recolha de amostras, para realizar os exames médicos.

Os  meses  que se avizinham podem não facilitar os trabalhos devido à chuva e ao período seco, ou seja a gravana ou época fria,que poderia facilitar uma maior propagação de vírus, daí a preocupação de Evaristo Carvalho, que vai reunir  todos os titulares dos órgãos de soberani, para analisar a evolução da pandemia de Covid-19 em São Tomé e Príncipe.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.