Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe

Julgamento do caso "Thunder" prossegue amanhã em São Tomé e Príncipe

Quando naufragou, o navio "Thunder" estava ser vigiado havia meses pela Interpol
Quando naufragou, o navio "Thunder" estava ser vigiado havia meses pela Interpol Sea Sheperd

Esta Terça -feira, prossegue a audição de testemunhas e declarantes do julgamento dos três tripulantes do navio "Thunder" que naufragou no passado mês de Abril em águas territoriais santomenses em circunstâncias por esclarecer, os três arguidos, o comandante do navio, o chefe de máquinas e o seu adjunto sendo acusados dos crimes de falsificação de documentos, de condução perigosa de meio de transporte e de danos contra a natureza.  

Publicidade

Seguido na altura pela ONG americana de protecção ao meio ambiente Sea Sheperd, o navio "Thunder" que se afundou com uma enorme quantidade de combustível, era procurado pela Interpol pela prática de pesca ilegal. Questionado na semana passada aquando das primeiras audiências sobre a opção de se dirigir para as águas territoriais de São Tomé, quando tinha passado por vários outros países onde poderia ter pedido socorro, o comandante do navio referiu ter agido em virtude de ordens recebidas.
Mais explicações sobre este caso com Maximino Carlos.

 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.