Acesso ao principal conteúdo
SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

Delinquência preocupa São Tomé e Príncipe

Maximino Carlos/RFI

As autoridades policiais santomenses estão a consolidar os seus dispositivos para estancar a onda de criminalidade que tem assolado o país.

Publicidade

Patrulhas conjuntas, envolvendo elementos da Polícia Nacional, Polícia de Investigação Criminal, Forças Armadas de São Tomé e Príncipe , dos Serviços de Reinserção Social e da Migração e Fronteiras, têm resultado no desmantelamento de alguns grupos de bandidos que actuam essencialmente na capital do país e também na detenção de determinados cidadãos.

Um dos casos mais mediáticos foi a recente detenção de seis jovens estudantes do liceu nacional, o maior estabelecimento de ensino do país, que actuavam nalgumas localidades da capital santomense no roubo de electrodomésticos e no assalto alguns cidadãos .

Estes estudantes, entretanto, já foram postos em liberdade pelo tribunal, mediante uma caução de 125 euros cada.

Os ministérios da administração interna e da justiça e dos direitos humanos, garantem que o cerco vai apertar e que as patrulhas mistas vão continuar de forma a manter a segurança dos bens público e privado bem como dos cidadãos.

A actuação policial é abrangente, visando igualmente grupos que consomem ou traficam substâncias psicotrópicas.

No orçamento geral de estado para 2016, prevê-se o reforço de verbas para instituições policiais para que possam combater com maior eficácia a criminalidade em São Tomé e Príncipe.

Confira aqui a crónica de Maximino Carlos, correspondente em São Tomé

 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.