Acesso ao principal conteúdo
SÃO TOMÉ E PRINCIPE

Demissão do ministro da justiça de São Tomé e Príncipe

Roberto Raposo, ministro são-tomense da justiça, apresentou o seu pedido de demissão
Roberto Raposo, ministro são-tomense da justiça, apresentou o seu pedido de demissão Téla Non

Roberto Raposo, colocou à disposição do Primeiro Ministro o seu cargo de Ministro da Justiça e Direitos Humanos.Tudo por causa da fuga das suas declarações na audição na primeira comissão especializada da Assembleia Nacional aquando da auscultação sobre a delinquência juvenil em São Tomé e Principie.

Publicidade

Numa nota de imprensa Roberto Raposo disse que não tinha sido informado da gravação das suas declarações.
Disse ainda que as gravações foram obtidas por modos fraudulentos, de violação do servidor da Assembleia Nacional bem como de outras normas da referida administração.

Reconhecendo que as suas declarações podem ter causado mau estar no relacionamento institucional entre o governo e os tribunais, contrariando os objectivos do governo em matéria de reforma da justiça, Roberto Raposo , decidiu colocar o seu cargo a disposição do Chefe do governo.

As declarações do ministro da justiça , causaram um certo desconforto no seio dos juízes e magistrados
Entretanto, a Assembleia Nacional numa nota de imprensa divulgada esta terça feira, apurar a veracidade dos factos e agir em conformidade com a lei.

Ainda não se conhece a posição do Primeiro-Ministro, Patrice Trovoada sobre este assunto.

Roberto Raposo formado em direito em Portugal já exerceu as funções de Procurador Geral da República e é um dos defensores da reforma da justiça em São Tomé e Príncipe.
 

Confira aqui a crónica audio de Maximino Carlos em São Tomé

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.