Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe

Extracção de areia gera polémica em São Tomé

RFI/Miguel Martins

Em São Tomé instalou-se a polémica por causa da extração de areia numa comunidade junto ao aeroporto do país. Trata-se da praia de Emília que acolhe mais de cinco centenas de famílias e que correm o risco de ver as suas casas desaparecerem devido a esta pratica considerada abusiva pelas autoridades.

Publicidade

O governo são-tomense pretende impedir a extracção abusiva da areia nas praias como forma de preservar o meio ambiente. Uma das zonas onde há a extracção abusiva de inertes é na praia Emília, uma localidade próxima da capital da ilha de São Tomé. O local acolhe mais de cinco centenas de famílias que receiam que com esta situação as suas casas possam vir a desabar.

Face à dimensão do problema, a guarda costeira accionou um mecanismo para  proteger a referida localidade e travar a extracção de areia. De acordo com Idalécio João, comandante da guarda costeira, que visitou esta semana as localidades afectadas, serão adoptadas medidas coercivas para proteger a população e o ambiente circundante.

A extracção ilegal de areia nas praia é uma preocupação das autoridades nacionais sobretudo ambientais que já dispõem de um plano pluridisciplinar para travar este fenómeno.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.